Endereço e Contato

ENDEREÇO: Rua João Paz de Lima, 277, Centro
CEP: 58887-000
CIDADE: BOM SUCESSO - PB.
FONE: (83) 3448-1129

24 outubro 2011

JUSTIÇA MANTÉM DIRETORIA DA CONFETAM.

0 comentários
COSME NOGUEIRA
Atual Presidente da CONFETAM.


15 Out 2011

Buscando sempre a ampliação dos espaços democráticos e o fortalecimento da organização sindical dos servidores públicos, a Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB, cedeu na tarde desta sexta-feira, 14 de outubro, o auditório para reunião da Diretoria da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – CONFETAM, para ratificar as decisões deliberadas anteriormente, no mês de junho do corrente, na Cidade de São Paulo.


Tudo corria normal até que um grupo de pessoas identificadas como integrantes da Central Única dos Trabalhadores – CUT e membros destituídos da Diretoria anterior da CONFETAM ocuparam o espaço proferindo em coro palavras de ordem no intuito de impedir que a reunião que aconteceria naquele recinto não pudesse ser realizada em função de uma liminar que cassava o direito da realização da Assembléia. A reação da Diretoria foi imediata, o presidente da CONFETAM, Cosme Nogueira, acompanhado dos advogados Osmir Bertazonni (foto) e Frederico Sanches, se deslocaram de imediato ao Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, impetraram Ação e permaneceram no Tribunal até conseguirem junto a 4ª Vara do Trabalho de Brasília suspensão da liminar, derrubando, desta forma, a decisão anterior que proibia a realização da Assembléia o que foi comemorada como resgate de demonstração do verdadeiro “Estado de Direito”, disse Bertazonni.

Enquanto tudo isso acontecia, os militantes da CUT, desocuparam o 13° andar e fizeram manifestações na parte exterior onde fica a sede administrativa da CSPB, proferindo palavras de ordem enquanto alguns oradores exaltados, criticavam e condenavam à CSPB como entidade pregadora de práticas anti-sindicais. Incomodado, então, o diretor Financeiro da CSPB, Fernando Borges (à direita) e vice-presidente da FETASP na Paraíba resolveu ir ao encontro dos manifestantes e procurou suas lideranças para demonstrar que o ato não era da CSPB e sim da CONFETAM e que a entidade de representação maior primava pela transparência de suas ações institucionais, Borges aproveitou para dizer que a divergência era visto por ele como motivador do fortalecimento da democracia servindo indubitavelmente para lastrear e acomodar possibilidades e entendimento independente das cores das bandeiras e ideologias que os separava, enfatizou, ao final,que defendia acima de tudo a UNIDADE NA LUTA E MELHORIA NA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS.

A liminar deferida pelo Tribunal reconheceu e manteve a atual diretoria da CONFETAM, permitiu a realização e continuidade da reunião, que fora conduzida pelo primeiro vice-presidente da entidade, Fernando Sanches Cascavel, em razão da ausência temporária do presidente, nela estiveram presentes as entidades filiadas e convocadas. “O juiz entendeu que desde o início a transparência da nova diretoria tem feito a diferença, não há o que questionar sobre a boa intenção no processo de condução dos trabalhos à frente da CONFETAM”, disse o presidente Cosme Nogueira (foto).

Em junho deste ano a diretoria anterior tentou ratificar a criação da Confetam de forma anti-democrática, quando queriam fundar a entidade de representação nacional contando com apenas três estados.

Entenda o Caso


Federações comparecem em peso à SP para assembleia da Confetam

No dia 17 de junho deste ano, a Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB, e federações filiadas à entidade compareceram à sede da Confederação Sindical das Américas em São Paulo para ratificar a fundação da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – Confetam. A assembleia que tinha o intuito de ratificar a Confetam não seguiu o caminho da democracia, quando o certo seria convidar federações de servidores públicos de todo o pais a participar do processo.

Sindicalistas e um oficial de justiça chegaram ao local onde deveria acontecer o evento no horário marcado para a primeira chamada. A sindicalista Maria das Graças, que convocou assembleia a fim de ratificar a Confetam, não compareceu no endereço em que a própria convocou através de um edital camuflado.

A confirmação da prática anti-sindical constatou-se quando ao tomar conhecimento da presença das demais federações de servidores públicos, Maria da Graça se negou a entrar no prédio, permanecendo do lado de fora com seu grupo promovendo articulações para fugir do processo democrático.

De acordo com a situação, a CSPB e federações filiadas ingressaram uma ação na justiça para neutralizar a intenção anti-democrática. A justiça entendeu pertinente o pedido e expediu uma carta precatória exigindo a participação das demais federações no processo eletivo.

Segundo representantes de federações e advogados que acompanharam o processo, a forma da convocação do edital foi considerada obscura. A partir do ocorrido, sindicalistas que vieram de vários estados brasileiros fizeram o uso da prerrogativa do edital público e deram inicio à assembleia.

Para comandar os trabalhos iniciais foi eleita uma diretoria provisória para um mandato de 1 ano e aprovada uma convocatória da nova diretoria, no período de até 120 dias, para ratificar as decisões deliberadas na fundação da entidade, estando a frente da diretoria provisória Cosme Nogueira, como presidente.

Secom/CSPB


0 comentários:

Postar um comentário